1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer>

Como agir em caso de sinistro

PDFImprimirE-mail

Índice do Artigo
Sinistro
Informações sobre abertura de sinistro
Orientação para indenização integral em casos de Leasing e Financiamentos
Dicas importantes
Dúvidas frequente
Todas as Páginas

Ocorrência de sinistro.

Um Sinistro é a concretização do risco contratado na apólice do Seguro. Por exemplo, se você contratou um seguro de automóvel e sofreu ou causou uma colisão com esse mesmo veículo segurado, deu-se um SINISTRO.

Ao contratar seu seguro com a Boese Corretora de Seguros você conta com todo o apoio de uma equipe experiente e treinada a orientá-lo em todos os passos na ocorrência de um sinistro (Seja uma colisão, Furto, roubo, alagamento, incêndio).

IMPORTANTE: Antes de acionar diretamente sua seguradora, PROCURE SEMPRE ENTRAR ANTES EM CONTATO CONOSCO, para que possamos orientá-lo (a) com os melhores procedimentos de forma a agilizar e tornar mais prática a indenização do seu sinistro.

Passos

  • Caso haja necessidade de guincho aos finais de semana, feriados ou fora do horário comercial e não souber para onde enviar o veículo, peça que o guincho leve-o para a base, onde o veículo permanecerá guardado, pois o andamento do seu processo de sinistro só terá início no primeiro dia útil. (Caso o veículo seja removido para a Base, recolha todos os seus pertences pessoais do veículo).
  • Em caso de socorro por Pane: Nos casos de Panes Secas (Falta de combustível), Pane Elétrica ou mecânica, Troca de pneus, Chaveiros, ou outras situações, basta acionar a central 24 horas da sua Seguradora, que solucionará o caso imediatamente. O numero do telefone consta do cartão que foi enviado juntamente com sua Apólice de Seguro.
  • Em caso de Perda Parcial (por colisão, com o sem terceiros): Entre em contato com a Corretora, que dará todas as orientações e fará a abertura do processo sinistro junto à seguradora, informando também as oficinas referenciadas e conveniadas onde você poderá obter os melhores benefícios (desconto na franquia ou veículo reserva), acompanhando o andamento do serviço junto as oficinas e a liberação dos reparos até a entrega do veículo.
  • Em caso de roubo/furto: Neste caso basta entrar em contato conosco para que possamos orientá-lo sobre os tramites de indenização e realizar a abertura do processo de sinistro junto à seguradora. Para sua comodidade, nossos portadores irão recolher toda a documentação para protocolo junto à Seguradora. Depois de enviar os documentos solicitados pela seguradora, você só espera para receber o crédito e mais nada.
  • Atenção: em casos de veículos alienados ou financiados, com saldo devedor, entre em contato com nossa equipe para que possa ser orientado sobre os melhores procedimentos a tomar junto ao seu banco, seja a substituição de garantia ou mesmo a quitação do contrato.
  • Sempre que possível utilize apenas a assistência 24 horas e as empresas conveniadas de sua seguradora.
  • Para solicitar a assistência 24 Horas, ligue para o fone que consta do cartão de assistência que foi recebido juntamente com a sua apólice de seguros.
  • Comunique a Ocorrência do sinistro à Corretora o mais rápido possível para ser orientado sobre a melhor forma de encaminhar o processo junto à seguradora.
  • Nos casos de Colisões com vítimas ou com danos a terceiros recomendamos para sua garantia que o segurado faça sempre o Boletim de Ocorrência, que pode ser feito nos órgãos competentes. Para consultar os locais entre em contato conosco.
  • Aguarde sempre a realização da vistoria de constatação dos danos e a liberação da Seguradora antes de autorizar qualquer reparo, ou contratar qualquer despesa.
  • Em caso de roubo ou perda total de seu veículo, aguarde antes de providenciar qualquer documento. Nossa equipe lhe orientará sobre todos os documentos a serem providenciados seja junto ao DETRAN ou a eventuais Bancos onde haja alienação.
  • Peça orientação a nossa equipe e respeite sempre as normas de sua seguradora. Isto evita que você perca direito à indenização.
  • Os procedimentos exigidos por cada seguradora diferem de companhia para companhia, e os procedimentos para a regularização do sinistro variam conforme o ramo do seguro.


 

Informações sobre abertura de sinistro

Para abrir seu processo de sinistro, preencha o formulário de abertura que consta abaixo. É importante fornecer todas as informações corretas

O Segurado também pode optar por comunicar o seu sinistro diretamente no site da seguradora. Para isso, basta acessar o site pelos links das seguradoras que constam no site ou mesmo ligar para o 0800 da Cia que consta em nossos site. Recomendamos sempre que o segurado entre em contato conosco antes de abrir seu sinistro na Cia para orientações prévias;

  1. Colisão de Veículos, Enchente ou Inundação.

Documentos necessários: (Pode ser passados por e-mail, fax, ou através de nosso portador – O Segurado não tem que se locomover ou mesmo perder tempo)

  1. Boletim de Ocorrência Policial – Este documento pode ser prescindido caso não haja terceiros, ou em colisões de pequeno valor.
  2. Documento do veículo, RG e CPF do segurado;
  3. RG e CNH do motorista;

Orientações, Dicas e Procedimentos:

  1. Remover o veículo para uma oficina. Caso necessite, a Seguradora enviará um guincho para a remoção. Normalmente o segurado possui direito a uma guinchada por colisão, exceto em horário noturno ou nos finais de semana quando o veículo pode ser removido para local seguro e depois para a oficina/Concessionária escolhida.
  2. IMPORTANTE: Para maior garantia dos reparos, e a fim de obter os benefícios de descontos em franquia ou Carros Reserva, recomendamos que o segurado dê sempre preferência às oficinas credenciadas da Seguradora. Consulte uma oficina ou concessionária mais próxima conosco.
  3. Após receber o carro, a oficina irá elaborar o orçamento (Prazo 24 Horas)
  4. Depois de efetuado o orçamento, a oficina receberá a visita do perito da Seguradora que deverá inspecionar o veículo, e caso haja conformidade de valores e serviços, o serviço será imediatamente liberado.
  5. Antecipamos que, em colisões de maior intensidade, pode haver a necessidade de um retorno de avaliação mecânica, verificando partes ocultas do Motor, Câmbio e Suspensão, que deverão ser desmontados mediante autorização da seguradora. Nestes casos a oficina precisará de mais tempo para complementar o orçamento.
  6. Após os passos acima, o veículo entrará em reparos até sua entrega.
  7. A FRANQUIA é sempre paga diretamente à Oficina/Concessionária. Verifique o parcelamento combinado e os descontos autorizados pela Seguradora.
  1. Colisão envolvendo terceiros:

Orientações, Dicas e Procedimentos:

  1. Após a entrega da documentação, para seu conforto e tranqüilidade, recomendamos que o segurado informe os dados do terceiro para a Boese Corretora, para que o mesmo seja atendido diretamente por nós, sem transtornos nem inconvenientes.
  2. Se preferir, basta fornecer nosso telefone ao terceiro e pedir que ele nos ligue diretamente. Neste caso é importante que o segurado nos informe do sinistro antes do contato do terceiro, e que assuma expressamente a responsabilidade pelo acidente, caso contrário o terceiro não poderá ser atendido.
  3. Valem todos os procedimentos acima que envolvem colisão de veículos.
  4. Observamos que caso a seguradora entenda que tecnicamente não há culpa do segurado pela descrição do acidente, a terceiro não terá cobertura, mesmo que o segurado assuma a responsabilidade. Neste caso a seguradora assume automaticamente toda a responsabilidade por qualquer reflexo desta decisão.
  5. A Privacidade do segurado será sempre preservada, portanto observamos que a Boese Corretora NUNCA informa dados pessoais de segurados a terceiros.
  6. Mesmo quando haja danos relevantes somente no veículo do terceiro, deverá ser marcada uma vistoria de constatação de danos em seu veículo, e a apresentação de Boletim de Ocorrência.
  7. INFORMAÇÃO IMPORTANTE: Caso o segurado use apenas o seguro para atender os danos do terceiro, a franquia NÃO SERÁ COBRADA, pois a franquia vale apenas para consertos do Veículo Segurado.
  1. Roubo de Acessórios:

Procedimentos:

  1. Providenciar aviso de sinistro, boletim de ocorrência policial (obrigatório) e 3 cotações para reposição do acessório roubado/furtado;
  2. A documentação será enviada à seguradora.
  3. Conforme providências em "colisão", o segurado deverá aguardar a elaboração de orçamento e a caracterização da “Perda Total”.
  4. Por mais avariado que esteja o veículo, ainda assim a Perda Total só será caracterizada OFICIALMENTE depois de elaborado o orçamento feito pela Oficina/Seguradora.
  5. Após caracterização da perda total por parte da Seguradora, o segurado receberá a lista de documentos necessários que deverão ser encaminhados.
  6. ATENÇÃO: Caso seu veículo seja Arrendado ou Financiado veja dicas e orientações importantes no quadro do lado esquerdo desta página. No “veja aqui”.
  7. IMPORTANTE: Caso seu veículo possua rastreador instalado, acione-o imediatamente após o roubo, tão logo esteja em local seguro. Caso não seja automático, o acionamento pode ser feito através do fone 24h da sua seguradora.
  8. Ligue 190 e comunique por fone o Roubo/Furto
  9. Procure a autoridade policial mais próxima, e elabore o seu Boletim de Ocorrência.
  10. Quanto mais rapidamente se aciona o rastreador e se liga para 190, maiores serão as probabilidades de localização de seu veículo.
  11. Para comunicar o sinistro, preencha o aviso de sinistro abaixo e encaminhe a documentação necessária (a relação de documentos será enviada por e-mail, pois varia de caso a caso).
  1. Indenização Integral por Colisão, Incêndio, Enchente ou Inundação:
  1. Furto ou Roubo:


 

Orientação para indenização integral em casos de Leasing e Financiamentos

LEASING:

Logo após a abertura do sinistro de roubo/furto ou da caracterização da Perda Total, recomendamos que o titular do contrato junto ao leasing, realize imediatamente o contato informando sobre o sinistro, para que a instituição possa tomar as providencias necessárias para andamento do processo, agilizando a indenização.

Lembramos que em caso de Leasing, o Documento de Transferência do Veículo (DUT/CRV) deve ser preenchido pela empresa de Financiamento, que oficialmente é a proprietária Legal do Veículo.

Observamos que este contato não poderá ser feito pela corretora ou por terceiros visto que a instituição só aceita contato do próprio Arrendatário

FINANCIAMENTO:

Logo após a abertura do sinistro de roubo/furto ou da caracterização da Perda Total, recomendamos que o titular do contrato junto a Instituição financeira realize imediatamente o contato informando sobre o sinistro, para que a instituição possa tomar as providencias necessárias para andamento do processo, agilizando a indenização. Lembrando que em caso de Contrato de Financiamento por CDC o Documento de Transferência do Veículo (DUT/CRV) deve ser preenchido pelo proprietário legal do Veículo constante no documento. Porém em caso de Contrato de Leasing o Documento de Transferência do Veículo (DUT/CRV) deve ser preenchido pela empresa de Financiamento, que oficialmente é a proprietária Legal do Veículo.

Observamos que este contato não poderá ser feito pela corretora ou por terceiros visto que a instituição só aceita contato do próprio Arrendatário.

DICAS PARA TOMADA DE DESCISÃO DO SEGURADO: QUITAÇÃO DO CONTRATO OU SUBSTITUIÇÃO DE GARANTIA? QUAL A MELHOR OPÇÃO?

Caso seu carro tenha menos parcelas pagas do que parcelas a vencer, ou seja, caso seu saldo devedor ainda seja maior do que o valor pago, a melhor opção, normalmente é a SUBSTITUIÇÃO DE GARANTIA, Em caso de financiamento, CDC, quando o segurado optar pela substituição de garantia, logo após comunicar a escolha à instituição financeira, ele deverá escolher o veículo diretamente na loja ou concessionária de sua preferência, e passar os dados do novo veículo para a instituição, que fará a análise para aprovação da substituição.

Após esta aprovação, a financeira providenciará a transferência do gravame para o novo carro, liberando o veículo sinistrado para indenização.

Neste momento, após a entrega de todos os documentos necessários, a Cia efetuará o pagamento do valor diretamente ao segurado, que por sua vez quitará o valor correspondente ao novo carro à concessionária, finalizando assim o negócio. Em Tempo: Neste caso, o segurado continuará pagando o mesmo financiamento com as mesmas taxas iniciais.

Importante: A substituição de garantia deve ser feita por um veículo de valor igual ou maior ao veículo segurado. Se maior o segurado deverá pagar a diferença entre os dois veículos.

Se seu saldo devedor for menor do que o valor pago, normalmente a melhor opção para o segurado é a QUITAÇÃO DO CONTRATO. Neste caso a Instituição financeira enviará uma carta de Saldo devedor á seguradora, que PRIMEIRO QUITARÁ O SALDO, e depois liberará o restante da indenização para o segurado. Existem algumas instituições financeiras que exigem o crédito total da indenização e elas mesmas devolvem o restante ao segurado. Verifique junto à sua Financeira.


 

DICAS IMPORTANTES:

  1. Normalmente as Instituições Financeiras tendem a cobrar taxas para SUBSTITUIR A GARANTIA E PARA QUITAR A APÓLICE. Negocie junto ao seu banco esta taxa.
  2. Ao quitar o contrato junto à Instituição financeira, procure negociar bem o saldo devedor, atentando-se sempre que, como o contrato será quitado antes do período inicial previsto, DEVERÁ HAVER DEDUÇÃO PROPORCIONAL DOS JUROS. Para facilitar sua conta, o valor da quitação deve ser SEMPRE MENOR DO QUE A SOMA DAS PARCELAS A PAGAR. E saiba que este valor também é negociável. Procure sempre o melhor acordo para seu caso.

Documentação necessária para atendimento de sinistro.

Documentação necessária em caso de colisão com perdas parciais.

  1. Aviso de Sinistro
  2. Carteira de Habilitação e Carteira de Identidade do condutor
  3. Identificação do causador do acidente

Atenção: Em qualquer caso, além dos documentos aqui relacionados, outros complementares poderão ser solicitados.

Documentação necessária em caso de colisão com perda total

  1. Aviso de Sinistro preenchido;
  2. Carteira de Habilitação e Carteira de Identidade do condutor;
  3. Identificação do causador do acidente;
  4. Boletim de Ocorrência Policial;
  5. Autorização para retirada do veículo (salvado) na oficina;
  6. Certificado de Propriedade do Veículo quitado (documento de porte obrigatório);
  7. IPVA quitado dos últimos dois anos;
  8. Termo de Responsabilidade sobre multas com firma reconhecida;
  9. Declaração da financeira quanto ao montante da dívida e/ou Instrumento de Liberação da financeira com firma reconhecida (quanto veículo alienado);
  10. DUT fechado a favor da Seguradora, assinado e com firma reconhecida por autenticidade;
  11. Documentos a serem providenciados junto ao DETRAN:

- Certidão Negativa de Multas;

- Prontuário do veículo;

Atenção: Em qualquer caso, além dos documentos aqui relacionados, outros complementares poderão ser solicitados.

Documentação necessária em caso de roubo ou furto

  1. Aviso de Sinistro preenchido;
  2. Boletim de Ocorrência Policial;
  3. Certificado de Propriedade do Veículo quitado (documento de porte obrigatório);
  4. IPVA quitado dos últimos dois anos;
  5. Termo de Responsabilidade sobre multas com firma reconhecida;
  6. Declaração da financeira quanto ao montante da dívida e/ou Instrumento de Liberação da financeira com firma reconhecida (quando veículo alienado);
  7. DUT fechado a favor da Seguradora, assinado e com firma reconhecida por autenticidade;
  8. Documentos a serem providenciados junto ao DETRAN:

- Certidão Negativa de Multas;

- Prontuário do veículo;

- Certidão de Não Localização do veículo;

Atenção: Em qualquer caso, além dos documentos aqui relacionados, outros complementares poderão ser solicitados.

Regularização de sinistro

O processo de regulação do sinistro se inicia com a comunicação formal à seguradora do sinistro ocorrido. Após isto será marcada a vistoria de constatação dos danos. Respeite sempre as orientações fornecidas, no que se referem aos documentos a serem providenciados e despesas autorizadas.

A adoção de uma medida fora dos procedimentos autorizados pode fazer com que você perca direito a sua indenização. Para efetuar reparos em bens sinistrados cobertos por uma apólice de seguro, você deverá dar preferência às oficinas e empresas conveniadas com a Seguradora envolvida. Não se esqueça, contudo, que deverá haver uma Vistoria da Seguradora antes de qualquer reparo.

Ao optar pelas oficinas e empresas conveniadas com Seguradoras, quando possível, você poderá ter, entre outras, as seguintes vantagens:

  1. Serviços garantidos pela Seguradora;
  2. Desconto ou parcelamento da sua franquia em muitas oficinas;
  3. Não precisa desembolsar dinheiro para pagar o reparo à oficina e depois solicitar o reembolso à Seguradora. A oficina fatura diretamente os serviços à Seguradora;
  4. O Atendimento tenderá a ser mais rápido para a liberação dos reparos;


 

DÚVIDAS FREQÜENTE

Quando que a seguradora pode recusar o pagamento do sinistro.

Recusas de indenização de prejuízos podem decorrer por:

  1. Riscos excluídos ou prejuízos não indenizáveis: riscos e situações que não estão cobertos pelo seguro;
  2. Perda de direitos: situações nas qual o seguro perde o direito de ser indenizado;
  3. Descumprimento das obrigações do segurado: deveres que o segurado não cumpre, determinam a perda de direitos sobre o seguro.
  4. Dentre as principais exclusões e situações que podem promover a perda do direito de cobertura para danos causados pelo automóvel, sobressaem
  5. Ricos excluídos:
  6. Guerra, rebelião, insurreição ou revolução;
  7. Confisco nacionalização, destruição, requisição ou apreensão efetivada por qualquer ata de autoridade civil ou militar;
  8. Tumultos, motins, greves, “lockout” e quaisquer outras perturbações de ordem publica;
  9. Outras convulsões da natureza, além das cobertas que são: alagamento, enchente, inundações, ressaca, vendaval, granizo e terremoto;
  10. Transito por estradas ou caminhões impedidos, não abertos ao trafego ou de areias fofas ou movediças;
  11. Radiação ionizastes, contaminação por radioatividade;
  12. Participação do veiculo segurado em competições, apostas e provas de velocidade;
  13. Inobservância das disposições legais, tais como excesso de lotação de passageiros, transportes de passageiros em locais não apropriados, reboque por veiculo não apropriado;
  14. Desgastes, depreciação pelo uso, falhas de material, defeitos mecânicos ou da instalação elétrica;
  15. Multas, fianças e despesas relativas a ações ou processos criminais;
  16. Poluição ou contaminação ao meio ambiente.
Não estão cobertos, também, os danos a terceiros causados a:
  1. Ascendentes, descendentes, cônjuge e irmãos do segurado, bem como a quaisquer parentes e pessoas que com ele residam ou que dele dependam economicamente;
  2. Empregados ou prepostos do seguro, quando o seu serviço;
  3. Sócio-dirigente ou dirigente de empresa do segurado;
  4. Bens de terceiros em poder do segurado.

Perda de direitos:

A seguradora poderá recusar o pagamento do sinistro nas seguintes situações:

  1. Declarações inexatas ou omissas feitas pelo segurado, que possam ter influído na aceitação da proposta ou no preço do seguro. Se a inexatidão ou omissão nas declarações não resultarem de má-fé do segurado, a seguradora poderá indenizar o sinistro e cobrar a diferença de prêmio;
  2. Condução do veiculo por pessoa sem habilitação e cobrar a diferença de prêmio;
  3. Uso do automóvel para fim diferente do declarado da apólice;
  4. Sinistro causado por dolo (má intenção);
  5. Fraude ou tentativa de fraude por parte do segurado, com a intenção de obter benefícios ilícitos do seguro;
  6. Agravamento intencional do risco por iniciativa do segurado ou do condutor do veículo;
  7. Acidentes ocorridos em conseqüência direta e indireta de quaisquer alterações mentais do condutor devido ao uso de álcool, drogas, entorpecentes ou substâncias tóxicas;
  8. Descumprimento, por parte do segurado, das obrigações constantes nas condições contratuais do seguro e na apólice.

Obrigações do segurado:

  1. Providenciar o mais rápido possível todas as medidas ao seu alcance para proteger o veículo que sofreu um acidente (sinistro) e evitar que os prejuízos aumentem;
  2. Avisar imediatamente às autoridades policiais, no caso de roubo ou furto total ou parcial, do veículo segurado;
  3. Comunicar o sinistro rapidamente à seguradora, relatando com detalhes o que aconteceu. É importante informar dia, hora, local exato e circunstância do acidente, nome e endereço de testemunhas, providenciais de ordem policial que tenham sido tomadas e tudo mais que possa contribuir para esclarecer o ocorrido.
  4. Não iniciar a reparação de danos sem a vistoria da seguradora;
  5. Avisar imediatamente à seguradora da ocorrência de fatos que possam ser caracterizados como risco de responsabilidade civil;
  6. Informar à seguradora sobre qualquer reclamação, citação, intimação, carta ou documento que receber relacionado ao cliente;
  7. Só finalizar acordo judicial ou extrajudicial com as vitimas, seus beneficiários e herdeiros depois que obtiver autorização, por escrito, da seguradora;
  8. Manter o veículo em bom estado de conservação e segurança;
  9. Comunicar à seguradora, imediatamente, qualquer fato ou alteração que tenha afetado o veículo durante a vigência da apólice, principalmente;
  10. Contratação ou cancelamento de outro seguro do mesmo automóvel;
  11. Transferência de propriedade;
  12. Modificações no veículo, ou no seu uso, ou mudança de domicílio.

Bens não compreendidos no seguro (cobertura específica).

  • A garantia de equipamentos de som, áudio e comunicação, originais de fabrica ou não, requer a contratação de uma cobertura específica, visando, principalmente, ao risco de furto parcial.

Na hipótese de indenização integral, se o acessório for original para o modelo do veículo, o valor da tabela de referência (FIPE) já incluiu o valor do acessório.

Em caso de atendimento somente só terceiro envolvido, tenho que pagar franquia?

Não, somente para reparos no veículo segurado.

A franquia é pago a quem?

O segurado parará a franquia nos casos de colisão e furto localizado; e quando os prejuízos apurados ultrapassarem este valor que é previsto no contrato, a franquia é pago diretamente na oficina, na data da retirada do veículo.

Quando um veículo é caracterizado como perca total (PT) pelas seguradoras?

Após o veículo ser periciado pela seguradora e apurada os prejuízos. Se os prejuízos ultrapassar a 75% do valor do veículo ou mais, esta caracterizado perca total (PT).

Eu fui responsável pela batida. O seguro do meu carro paga o conserto do outro?

Sim, se você tiver contratado um seguro de responsabilidade civil.

Consulte sua apólice e verifique o limite máximo de indenização (para danos materiais e corporais).

O dono do carro ou de outro bem material que foi atingido vai precisar registrar na seguradora o aviso de sinistro de terceiro, explicando como o acidente aconteceu.

A seguradora só vai indenizar o serviço depois que analisar o laudo de vitória de ambos os carros.

Eu atropelei uma pessoa, o que eu faço?

É uma situação difícil e complicada, além de envolver sofrimento e preocupação, Se você contratou uma cobertura de responsabilidade civil, problemas futuros serão amenizados, inclusive honorários de advogado e custas judiciais.

Você deve cumprir algumas etapas, entre elas:

Em primeiro lugar, procure dar atendimento à vitima, tenha sido ou não responsável pelo acidente:

Vá à Delegacia Policial mais próxima e registre o Boletim de Ocorrência (B.O).

Avise ao seu corretor e à seguradora. Se você contratou uma cobertura de responsabilidade civil, ambos vão lhe dar as orientações necessárias sobre os próximos passos.

Esses procedimentos são importantes, mesmo que a vítima não apresente queixa no momento. A reclamação, no entanto, poderá ser feita depois. Lembre-se, também, de anotar nomes, telefones e endereços de todas as pessoas envolvidas no acidente, inclusive testemunhas, tendo sido responsável ou não.

Eu preciso apresentar o Boletim de Ocorrência para todos os acidentes?

O B.O só é obrigatório nos casos de acidentes com feridos, de danos a bens de terceiros ou se o automóvel for roubado/furtado.

Quando um acidente resulta apenas em avarias no seu carro, a seguradora não exige a apresentação do B.O. No entanto, o registro na delegacia agiliza a autorização da indenização.

Quem paga o concerto do terceiro?

Se o acidente causou danos a bens de terceiros, na maioria dos casos a seguradora paga a indenização dos prejuízos diretamente ao prestador de serviço, por exemplo, uma oficina mecânica, quando tratar de um veículo.

Quais os benefícios de assistência que o seguro me oferece?

A totalidade das seguradoras oferece, junto com o seguro, um amplo serviço de assistência para o seu automóvel e ocupante, no caso de acidente ou pane mecânica.

Com algumas variações entre as seguradoras e os planos comercializados, os principais serviços que você encontra são:

  1. Socorro mecânico para reparo do veiculo no local;
  2. Guincho para rebocar o carro para a oficina;
  3. Auxilio em caso de falta de combustível (pane seca);
  4. Chaveiro;
  5. Troca de pneus;
  6. Remoção de passageiros acidentados;
  7. Transporte aéreo, rodoviário ou táxi para levá-lo de volta à sua residência, quando estiver viajando;
  8. Hospedagem, caso o acidente tenha acontecido em local distante (a quilometragem é definida na apólice) de onde você mora.

Se eu receber indenização por perda parcial ou total, o premio do meu seguro aumenta?

Sim, pois você vai perder uma classe de bônus, ou seja, vai ter reduzido o desconto de bônus.

Na renovação do seguro do seu automóvel, outros fatores poderão ser considerados para a aceitação da proposta e para o calculo do prêmio.

Também serão levados em conta o histórico de acidentes e suas características, inclusive o fato de você ser culpado ou não, de ter indicado o culpado e obtido dele uma declaração reconhecendo a culpa.

Dependendo da gravidade do acidente, faça as contas e veja se convém ou não bancar sozinho os reparos. Se o valor do orçamento é pouco maior do que a franquia, pode ser mais econômico abrir mão da indenização da seguradora e manter a evolução da sua classe de bônus.

Mas atenção, se outras pessoas ou bens materiais de terceiros estão envolvidos no acidente, o mais recomendável é recorrer à seguradora. É importante lembrar que os prejudicados poderão reclamar mais tarde, embora o primeiro momento tenha aberto mão de qualquer ressarcimento.

Eu tenho que pagar o conserto para a oficina?

Não. Você só é responsável pelo pagamento do valor da franquia, feito diretamente à oficina quando retirar o seu carro. A seguradora paga o restante.

Eventualmente, quando a oficina não for credenciada pela seguradora, está poderá exigir que você pague o custo dos reparos à oficina para reembolsá-lo.

Eu atropelei uma pessoa e ao comprei o seguro de responsabilidade civil facultativo. Existe algum outro recurso nessa situação?

Outra opção é o DPVAT, seguro obrigatório que cobre morte, invalidez e despesas médicas e hospitalares.

O prazo para a vítima entrar com uma reclamação é de três anos após o acidente.

A questão é que, caso a culpa do motorista fique comprovada e os valores de indenização do DPVAT sejam insuficientes para cobrir as despesas, o complemento financeiro será a responsabilidade do proprietário do veículo.

 

 

 

AddThis Social Bookmark Button

Atendimento

Atendimento: Matriz (44) 3025 2616 - Filial:(44) 3029 2616

Get Adobe Flash player

Get Adobe Flash player

Get Adobe Flash player